• K8Bank

Economistas que marcaram a história

Analisar dados, planejar metas e colaborar com o desenvolvimento estão entre as atribuições destes profissionais em todo o mundo.


Quando pensamos na Economia é natural relacionamos com números, contas e resultados. Porém, quem atua na área vai muito além para consolidar as informações. O(A) economista unem o estudo de dados matemáticos, aos fatos históricos e às estatísticas gerais de cenários micro e macro, a fim de compreender o comportamento das pessoas em determinada região. A partir desse recorte, se torna possível apontar às tendências econômicas. Como forma de celebrar essa profissão, há 70 anos, junto com a regulamentação da profissão no Brasil, foi oficializado o Dia do Economista, em 13 de agosto.


A importância dos economistas está em debater os sistemas econômicos vigentes e recomendar as mudanças ou ajuste que oportunizam a preservação do patrimônio pessoal ou coletivo. Confira a seguir algumas das personalidades que em seu exercício prestaram esse serviço em prol da sociedade:


Adam Smith

É considerado o ‘pai do capitalismo’, conceito que disseminou a partir de sua obra seminal, A Riqueza das Nações (1776), que melhorou a compreensão sobre o funcionamento de uma economia industrial. Era escocês e foi o primeiro a explicar termos econômicos como preço, produção, distribuição, finanças públicas, comércio internacional e crescimento econômico.


Elinor Ostrom

Em 2009, foi a primeira mulher a receber o Prêmio Nobel a partir de sua análise da governança econômica, especialmente os comuns. Elinor propôs que as pessoas são capazes de se organizar e administrar de forma responsável os recursos dos quais dependem.


Janet Yellen

Em outubro de 2009 se tornou a primeira mulher a chefiar o Federal Reserve, dos Estados Unidos (EUA), o que a tornou uma das mulheres mais poderosas do mundo. Sua gestão e atuação são sempre focadas em recuperação econômica. Como resultado no FED, obteve o menor índice de desemprego na comparação com qualquer outro período desde a Segunda Guerra Mundial.


Joan Robins

A britânica foi uma das primeiras pessoas que analisou o fenômeno dos baixos salários. Joan se distanciou de teorias clássicas, que sustentam que os mercados funcionam perfeitamente a partir da oferta e demanda. Assim, apontou que os monopólios permitem a exploração dos seus trabalhadores. A solução prosta por Joan foi a ideia de concorrência, para que qualquer empresa que explore o trabalhador corra o risco de perdê-lo para outra empresa.


Karl Marx

Suas teorias envolviam análises sobre a sociedade, a economia e a política e sustentam que as sociedades humanas progridem através da luta de classes. Estabeleceu as bases da doutrina comunista, onde criticou o capitalismo. Em colaboração com Friedrich Engels, Marx publicou o Manifesto Comunista, em 1848, expondo a história do movimento operário e concluindo com o apelo pela união dos operários no mundo todo.


Robert Solow

O norte-americano desenvolveu um estudo a partir do crescimento da economia dos países em uma análise de longo prazo. Solow apresentou como fonte de crescimento econômico: a acumulação de capital, o crescimento da força de trabalho e as alterações tecnológicas. O economista se preocupou-se em demonstrar que o produto per capita é uma função crescente da razão entre capital e trabalho. Em uma análise contemporânea, essa perspectiva pode ajudar na avaliação de estratégias para subverter a estagnação econômica atual.


Fonte: BBC Brasil e El País.

24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo